Publicidade
Publicidade
Publicidade

VACINA COVID-19

Por determinação do Governador Carlesse, mais duas regiões do Tocantins passarão a contar com centro de distribuição de vacina contra a Covid-19

24/06/21 15:50:35 | Atualizado em: 24/06/21 15:50:35

Mais dois caminhões serão utilizados pelo Governo do Tocantins na logística da distribuição das vacinas contra a Covid-19 aos municípios. A determinação do governador Mauro Carlesse foi comunicada na manhã desta quinta-feira, 24, durante a primeira reunião do Grupo de Trabalho (GT) para o Monitoramento do Plano Estadual de Vacinação. Os caminhões irão atender as regiões sul e sudeste do Estado, além do polo que já existe em Araguaína para atender os municípios da região norte.

Sob coordenação do secretário-executivo da Governadoria, Divino Allan; e da superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Perciliana Bezerra, a reunião discutiu pontos como logística, chegada de novas vacinas, subnotificações quanto à aplicação das vacinas e demais assuntos relacionados ao enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Tocantins.

O secretário Divino Allan reforçou que o objetivo do GT é dar celeridade à vacinação no Tocantins. “Nosso objetivo, ao implantar este grupo de trabalho, é contribuir de maneira direta para melhorar esse processo de vacinação no nosso Estado e, ao mesmo tempo, informar à população sobre as ações que estão sendo realizadas de maneira transparente”.

O primeiro encaminhamento da reunião foi quanto à contratação de mais dois caminhões refrigerados para distribuição das vacinas aos municípios. O objetivo é montar mais dois pontos de apoio, sendo um em Gurupi para atender a região sul do Estado, incluindo a Ilha do Bananal; e o outro em Dianópolis, para apoio aos municípios da região sudeste.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Perciliana Bezerra, destacou que o Governo do Tocantins quer facilitar ainda mais a logística para retirar as vacinas e contribuir para o avanço da vacinação. “A distribuição das vacinas é feita toda semana de quarta a sexta-feira, mas há municípios que não conseguem vir a Palmas toda semana, pelos gastos que esse deslocamento provoca, por isso a ideia de instalação dos novos polos de distribuição vem para facilitar esse acesso. Os caminhões sairão de Palmas, indo até essas cidades; e lá, os prefeitos poderão retirar as doses destinadas aos seus municípios", enfatizou.

Vacinas da Janssen

Na oportunidade, a Superintendente esclareceu também alguns pontos sobre a distribuição da vacina da Janssen, prevista para chegar ao Estado nesta sexta-feira, 25. “A princípio, as doses do imunizante iriam apenas para as capitais para agilizar a aplicação e não perder a validade de 15 dias. Mas, após a Anvisa ampliar este prazo para 30 dias, o Governo do Estado consultou o Ministério da Saúde e o Conass [Conselho Nacional de Secretários de Saúde] sobre a destinação das vacinas e ficou facultado, aos Estados, o critério para distribuição, permitindo assim a ampliação da distribuição para Araguaína e Gurupi”, explicou.

A decisão de incluir os municípios de Araguaína e Gurupi para o recebimento do imunizante da Johnson & Johnson junto com Palmas, se deu devido ao grande número de casos de Covid-19 registrados nessas localidades. Os três municípios juntos desde o início da pandemia, acumulam aproximadamente 50% do total de casos de Covid-19 registrados no Tocantins.

Subnotificações

Alguns municípios têm apresentado demora para registrar a aplicação das vacinas nos sistemas de informação do Ministério da Saúde e isso provoca também um atraso nos números do Vacinômetro. “Há municípios que só possuem uma sala de vacinação e precisam ao mesmo tempo armazenar as vacinas de rotina, como as vacinas da gripe. Sem a notificação no prazo correto, nós não sabemos se aquele município aplicou ou não os imunizantes” explicou Perciliana Bezerra.

As notificações sendo mais rápidas permitem avançar também na imunização de outras faixas etárias e da população em geral, conforme destacou a superintendente em Saúde, Perciliana Bezerra. "O público prioritário vem descrito pelo Ministério da Saúde, definido pelo PNI [Plano Nacional de Imunização] do Ministério da Saúde e distribuímos aos municípios rigorosamente, conforme as porcentagens, então não há um município que recebe mais que o outro. Se por acaso um município avançou na imunização do público-geral se deve ao fato de terem sobrado doses após a imunização completa dos grupos prioritários”, disse.

Definições

Outros pontos definidos pelo GT foram: o reforço às campanhas de conscientização; política permanente de uma busca ativa do público para vacinação e o estímulo, com apoio dos órgãos de fiscalização, para que haja celeridade do registro das vacinas aplicadas por parte dos municípios.

Fazem parte do GT também a Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social, a Polícia Militar do Estado do Tocantins, e a convite, o Ministério Público do Estado do Tocantins, o Tribunal de Contas do Estado do Tocantins e a Defensoria Pública do Estado do Tocantins.