Publicidade
Publicidade
Publicidade

OPERAÇÃO REPOUSO NOTURNO

Polícia Federal desarticula grupo criminoso especializado em furtos e roubos no Tocantins

13/05/21 07:51:21 | Atualizado em: 13/05/21 07:51:21

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (13/05) a “Operação Repouso Noturno”, visando desarticular um grupo criminoso especializado na prática de furtos e roubos à estabelecimentos privados em todo o Estado do Tocantins.

Aproximadamente 20 (vinte) Policiais Federais cumprem 02 (dois) mandados de prisão preventiva e 03 (três) mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins, nas cidades de Gurupi/TO e Divinópolis do Tocantins/TO.

Entre outros crimes, os investigados são suspeitos de terem praticado furto qualificado contra a Agência dos Correios no município de Abreulândia/TO, no dia 21 de janeiro deste ano. Além do crime contra a Agência dos Correios, os investigados são suspeitos de terem praticado dezenas de furtos contra estabelecimentos privados nos municípios de Abreulândia/TO, Dois Irmãos/TO, Divinópolis do Tocantins/TO, Gurupi/TO, Miracema do Tocantins/TO e outros municípios do sul do Estado.

De acordo com as investigações, os suspeitos arrombavam os estabelecimentos alvos com o uso de ferramentas e em seguida subtraíam dinheiro, objetos e mercadorias. Os investigados possuem diversas passagens policiais e condenações pela prática de vários crimes de roubos e furtos, inclusive tendo sido presos anteriormente por crimes da mesma natureza, e sempre que eram postos em liberdade voltavam a delinquir. Ressalta-se que os investigados causavam um sentimento de medo e pânico pelos municípios onde passavam, em razão da “onda” de crimes e “arrastões” que praticavam.

O objeto central da investigação é a apuração da prática do crime de furto qualificado mediante a destruição e rompimento de obstáculo e concurso de agentes, além da produção de provas e informações úteis para o esclarecimento dos crimes praticados contra os demais estabelecimentos privados.

Caso sejam condenados, os investigados poderão ser responsabilizados com pena de até 8 (oito) anos de reclusão.

O nome da operação é uma referência ao modo como os autores atuavam, sempre à noite, durante o repouso noturno, se aproveitando do momento de descanso da população. Importante destacar que em razão da atual crise de saúde pública, foi adotada logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPI’s a todos os envolvidos, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados.