Publicidade
Publicidade
Publicidade

MEDICINA

CES-TO faz avaliação do Câmpus Augustinópolis para validar curso de Medicina da Unitins

07/05/21 13:35:57 | Atualizado em: 07/05/21 13:35:57

O Conselho Estadual de Saúde do Tocantins (CES-TO) enviou membros da comissão técnica para avaliação in loco das condições estruturais do Câmpus de Augustinópolis da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) e da rede hospitalar da região do Bico do Papagaio. A visita técnica tem como foco a análise necessária para a implantação do curso de Medicina da Unitins na unidade de Augustinópolis.

Os trabalhos da comissão começaram na manhã dessa quinta-feira, 6, com a visita ao Câmpus, onde os membros do CES foram guiados e acompanhados pelo reitor Augusto Rezende, o chefe de gabinete da Unitins, Rafael Verli Ribeiro Silverol, o pró-reitor de Administração e Finanças da Universidade, Daniel Bardal, a diretora do câmpus, Gisele Padilha, a coordenadora do curso de Enfermagem da Unitins, Hanari Tavares, além de outros membros do curso e servidores administrativos da instituição. O presidente do Conselho, Mário Benício dos Santos, também acompanhou a visita.

A comissão é composta por quatro membros, dos quais dois estão fazendo as visitas. Além de conhecer a estrutura do câmpus, eles também verificarão as unidades hospitalares de Augustinópolis, Araguatins e Tocantinópolis, que receberão os discentes de Medicina para as atividades práticas e estágios. Após a conclusão das avaliações, a comissão emitirá parecer sobre a implantação do curso e este será submetido à apreciação do pleno dos conselheiros do CES. Não há prazo definido para a emissão do parecer e a deliberação final do CES.

Na recepção aos membros da comissão, o reitor da Unitins pontuou o planejamento para a implantação do curso de Medicina no Câmpus Augustinópolis, que vem desde 2018, os investimentos já alocados e atos importantes no processo de abertura, como o depósito do Projeto Pedagógico de Curso (PPC) no Conselho Estadual de Educação (CEE-TO), a reestruturação administrativa da Universidade – já prevendo a Coordenação do curso entre outros cargos relacionados – e a autorização do governador Mauro Carlesse para a realização do processo seletivo de professores de Medicina.

Durante a visita, os membros da comissão técnica do CES conheceram estruturas laboratoriais, de sala de aula, biblioteca e auditório do câmpus, com destaque para os investimentos em alta tecnologia para equipamentos de última geração no ensino da Medicina, como a Plataforma Multidisciplinar 3D, recurso que somente a Unitins dispõe entre todas as instituições de ensino de Medicina no Tocantins; e o boneco simulador, que comporá o Laboratório de Simulação Realística dos cursos da área de Saúde da Universidade (Medicina e Enfermagem).

O presidente do Conselho Estadual de Saúde destacou que “a Comissão [do CES que avalia a implantação do curso] é composta de membros técnicos, pessoas esclarecidas e que têm conhecimento profundo na área da saúde. Fiquei surpreso com a estrutura que a Unitins tem aqui no Câmpus de Augustinópolis”, frisou Mário Santos que também pontuou que o curso de Medicina deve levar desenvolvimento em geral para a região do Bico do Papagaio, especialmente na área da saúde “que é precária aqui na região e os usuários reclamam. Quem ganha é a população”.

Claudean Pereira Lima é um dos membros da Comissão que faz a visita in loco. Ele explica que a partir do Projeto Pedagógico do Curso e da documentação enviada ao Conselho, a comissão faz a análise com um olhar multidisciplinar, avaliando a qualidade frente à iniciativa de criação de um curso de Medicina na região. Eles analisam a estrutura que a Unitins dispõe e está providenciando para o curso, além da disponibilidade da rede de saúde na região que vai abrigar e contribuir na formação desses acadêmicos, futuros médicos.

“Essas questões precisam estar intimamente ligadas para oferecer o que é extremamente importante, qualidade na formação desse profissional”, destaca Ruth Caetano Cardoso, presidente da Comissão do Conselho Estadual de Saúde que avalia o processo.

A presidente também pontua que a análise da Comissão considera o que está sendo proposto e disponibilizado no momento, além das projeções futuras para o desenrolar do curso. “Nosso parecer terá o olhar de constatação do que já existe, uma análise conjunta do que a Unitins já oferece para o curso – como o Projeto Pedagógico e a infraestrutura – com o que o sistema de saúde da região também oferece, além de orientações e recomendações com o olhar no curso para frente, não só o curso que se inicia”.

Um dos pontos destacados pela conselheira após a visita é “o avanço tecnológico com o qual o curso já deve ser iniciado, com as aquisições já realizadas e os equipamentos em fase de aquisição”, se referindo aos Laboratórios de Anatomia e de Simulação Realística, que tem aparelhos de última geração no ensino da Medicina. “Foi muito salutar e positivo o que já vimos aqui. Além de dizer que a região é estratégica, sem dúvida nenhuma, e isso influencia bastante na existência do curso. Todos esses olhares nós teremos no parecer”, completou Ruth Cardoso.

Ao final da visita, o reitor Augusto Rezende reforçou aos membros do Conselho o empenho e apoio direto do governador Mauro Carlesse para a implantação do curso de Medicina, especialmente por perceber a carência da região e pelo anseio de oportunizar a tantos tocantinenses a realização do sonho de verem seus filhos se tornarem médicos formados por uma universidade pública e de qualidade.

Augusto Rezende também destacou o planejamento da Unitins para a concretização desse curso e a transformação que a região do Bico do Papagaio pode receber a partir dessa iniciativa. “Desenvolvimento em todos os sentidos”, enfatizou.