Publicidade

ESTADO

Ministro do STJ marca interrogatório de réus da operação Maet

Amado Cilton Rosa será ouvido pelo relator do processo, ministro Mauro Campbell Marques

08/04/21 11:33:19 | Atualizado em: 08/04/21 17:24:01


O desembargador afastado Amado Cilton Rosa deve ser interrogado pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell Marques no dia 30 de abril, 10. O desembargador é acusado de corrupção passiva qualificada, concussão e peculato.

O interrogatório faz parte da Ação Penal 690 fruto da operação Maet. Cilton Rosa será interrogado pelo STJ por ter foro privilegiado. O ministro Mauro Campbell Marques é o relator do processo na corte.

Das 18 pessoas denunciadas, restam apenas 15 no processo. Os outros réus também serão ouvidos por um juiz de primeira instância. Em razão da pandemia, o ministro autorizou que a audiência de interrogatório possa ser realizada de maneira virtual.

Além de Amado Cilton Rosa outros dois desembargadores são réus na Maet e ambos foram aposentados compulsoriamente após decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em processo que os julgou por infrações disciplinares decorrentes da operação Maet, são eles Willamara Leila de Almeida e Carlos Luiz de Souza.

No processo, Willamara Leila de Almeida é acusada de concussão, associação criminosa e corrupção passiva qualificada. Já Carlos Luiz de Souza responde por corrupção passiva qualificada, associação criminosa e concussão.

O desembargador José Liberato Costa Póvoa também era réu no processo, mas faleceu antes da conclusão do processo. Ele era acusado de corrupção passiva qualificada, associação criminosa e peculato.

Entenda

A Operação Maet foi deflagrada no dia 16 de dezembro de 2010 com o objetivo de combater a corrupção no Tocantins. Na época, os desembargadores e diversos advogados foram acusados de envolvimento em venda de decisões judiciais e participação na chamada máfia dos precatórios.