Publicidade
Publicidade

ENTREVISTA

Avelino defende Marcelo e faz aposta em Temer

Prefeito de Paraíso também comenta pré-candidatura

25/05/16 09:24 | Atualizado em: 25/05/16 09:24

O prefeito de Paraíso do Tocantins, Moisés Avelino (PMDB), já está trabalhando em busca de alianças que viabilizem a sua candidatura à reeleição no município. A informação foi repassada durante entrevista exclusiva ao Jornal Stylo.
O gestor é peeemedebista histórico e durante a conversa falou sobre os desafios da administração em tempos de crise e avaliou a gestão de Marcelo Miranda. O prefeito disse que Marcelo tem “pagado uma conta que ele não esperava”.
Moisés Avelino comenta as estratégias que serão adotadas neste ano durante o período de campanha e disse que busca uma avaliação sensata dos eleitores de seu município.
O administrador, que esteve à frente do Palácio Araguaia entre os anos de 1991 e 1994, disse que está otimista em relação ao novo governo de Temer. Ele disse conhecer o novo presidente e ressaltou acreditar que Temer fará um bom trabalho com o apoio do Congresso Nacional.
 
 
Jornal Stylo - Paraíso do Tocantins está entre as 10 melhores cidades da região norte para se morar. Qual é o segredo desse índice?
Moisés Avelino - O segredo de Paraíso está em sua história. Vem de seu início de sua fundação e dos programas de governo que foram capazes de atrair investidores para a cidade. Cada um contribuiu com a cidade e graças a Deus, aqui em Paraíso, não se vê nenhum barraco de palha, é uma cidade em que as pessoas têm uma condição de vida um pouco melhor e esse destaque não vem só da nossa gestão, vem também das gestões anteriores e da população que acreditou na cidade, cada um fazendo a sua parte. Hoje a gente percebe que, apesar da crise, nós não temos dificuldades em Paraíso. Nossos índices de desemprego são baixos e nós somos cidade polo. Nós estamos conseguindo conquistar benefícios através de nossa boa relação com os governos federal e estadual. Aqui temos uma vida empresarial participativa e ativa.
 
Stylo - Conseguir administrar as contas públicas é uma das principais dificuldades dos municípios. Como senhor está fazendo para conseguir contribuir com o desenvolvimento da cidade nesses tempos de crise?
Avelino - Dois pontos principais. O primeiro é a transparência e a seriedade na administração. Nós estamos trabalhando bem com as contas públicas e estamos buscando economizar. O segundo é o bom relacionamento que temos com o governo federal e com o governo estadual, não importando quem seja governador ou quem seja presidente. Temos um bom relacionamento com a bancada do Tocantins em Brasília. Dos 11 parlamentares no Congresso, todos me ajudam e a única que não estava no mandato que era a Kátia (Abreu), me ajudava lá no ministério (da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Tenho conseguido trabalhar bem e fazer com que até os parlamentares adversários destinem as suas emendas para Paraíso. Isso tudo minimiza a crise e facilita a gestão.
 
Stylo - Quais os principais desafios da gestão em Paraíso do Tocantins?
Avelino - Hoje estamos em um ponto diferente. Não gosto de falar em crise, prefiro falar em dificuldade. Dificuldades essas que a gente vai enfrentando com competência. Os custos da gestão não param de aumentar, é o salario, é a energia, é a gasolina. A gente está com a folha inchada, a exemplo do aumento do piso do professor. Hoje nós estamos em uma fase difícil e diferenciada, tivemos que parar as obras por causa da folha. Agora, nós estamos trabalhando com foco na economia com a intenção de fortalecer nossa cadeia produtiva para que não falte emprego e renda para a nossa comunidade. Esse ano não está favorável, mas acredito que essa fase de dificuldades não vai perdurar por muito tempo e o nosso principal desafio é manter nossa economia forte para minimizar os impactos da crise em nossa comunidade.
 
Stylo - Como estão os seus preparativos para a disputa a reeleição?
Avelino - Eu não estou focado nos preparativos. O que estamos fazendo é divulgando o trabalho que foi feito e o que ainda pretendemos fazer por Paraíso. Vamos mostrar as nossas obras, que são muitas, tanto na zona rural quanto na zona urbana. E o eleitor vai escolher se vai querer votar em quem é honesto, transparente e que trabalha pelo bem estar do povo desta terra. Nossa filosofia é mostrar que a gente trabalhou pela comunidade e a cidade ganhou com esse trabalho. Se o eleitor achar que deve votar em mim, acho ótimo. Mas, se achar que não, que vote em outro.
 
Stylo - O que foi prioridade nesse mandato e o que será prioridade, caso o senhor consiga se reeleger?
Avelino - Eu já falei para minha equipe que esse ano, em minha campanha, não haverá promessas de obras fantasiosas que não se faz. Eu não vou fazer promessas, em administração pública não adianta estar prometendo. O que se faz é aquilo que se consegue recurso. A prioridade é a infraestrutura, mas a saúde, a educação e a ação social continuarão sendo prioridade. Mas só vamos fazer se conseguirmos recursos. Se fizermos um pouco em cada área vamos conseguir fazer muito, assim como fizemos nessa gestão. Só na zona rural eu tenho 53 obras prontas, umas feitas com recursos próprios e outras feitas com obras do PDRIS, coisa que ninguém fez, estavam todas inacabadas. Já na cidade estamos entregando escolas reformadas, asfalto, casas populares e estamos lutando por recursos para beneficiar outras áreas.
 
Stylo - O senhor já tem buscado alianças com intenção de fortalecer sua base para 2016?
Avelino - Nosso trabalho segue firme. Hoje nós já temos sete partidos. Um grande número de candidatos a vereador e estamos conversando com outras siglas na intenção de formatar a chapa majoritária e a de vereadores.
 
Stylo - Como o senhor avalia a gestão do governador Marcelo Miranda?
Avelino - Eu acho que o Marcelo Miranda tem pagado uma conta que ele não esperava. Ele pegou o Estado em uma situação difícil, com problemas na educação, na saúde, no funcionalismo público e principalmente nas contas públicas. Ele está tendo dificuldade de dar a volta por cima. O que piorou a crise foi a situação que o País enfrenta hoje. Nós sabemos que o Estado está falido, e não é só o Tocantins, todos os estados estão em dificuldade. Com essa crise, Marcelo tem tido dificuldades de alavancar o Estado, eu sei que ele está tentando viabilizar dinheiro para começar a fazer algumas obras, mas essa parte estrutural, saúde, educação, etc, é desafio e ainda está engatinhando porque ele ainda não consegui driblar os problemas, que são grandes e difíceis.
 
Stylo - Qual as suas expectativas em relação ao governo do peemedebista Michel Temer?
Avelino- Tenho expectativas positivas. Ele tem muita coisa para fazer nesse período de dois anos e meio. Eu acho que o Michel, pelo que eu conheço dele, tem palavra e vai trabalhar para colocar esse país no rumo certo. Para colocar esse país no rumo certo depende do Congresso Nacional e o Michel tem um bom relacionamento com o parlamento. Ele tem tomado decisões difíceis na intenção de viabilizar a gestão, decisões que se ele não tomar ele não governa. Michel tem 15 anos de comando no parlamento, ele é ponderado, sabe ouvir e sabe conversar. Acredito que ele terá facilidade de relacionamento no Congresso Nacional, inclusive terá o apoio do Congresso para buscar as soluções.