Publicidade
Publicidade

ESTADO

Adapec registra caso de mormo em equino na Ilha do Bananal

17/02/20 08:53:11 | Atualizado em: 17/02/20 08:53:11

 Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) confirmou um caso de mormo em um cavalo numa propriedade rural, localizada na Ilha do Bananal,  após resultado do exame complementar confirmatório de western blotting. Todas as medidas sanitárias estão sendo tomadas: o animal será sacrificado, está ocorrendo o saneamento das propriedades e levantamento dos vínculos epidemiológicos para colheita de material de todos os animais susceptíveis á doença, entre outros.

De acordo com o responsável pelo Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos da Adapec, Raydleno Mateus Tavares, até o momento não há informação sobre como o equino adquiriu a doença. “Fizemos um levantamento do histórico de trânsito desse animal nos últimos seis meses e não há registro de movimentação. Ainda assim, continuamos com as investigações”, enfatiza.

A instituição também notificou a Secretaria da Saúde do Estado por se tratar de zoonose, doença que pode ser transmitida ao homem, seguindo o que preconiza a legislação.

Vale lembrar que em casos de suspeita da doença, o produtor rural deve notificar imediatamente a Adapec em uma das suas unidades ou pelo Disque Defesa 0800 63 11 22, bem como denunciar trânsito clandestino de animais.

Entenda

No dia 26 de janeiro, a Agência recebeu a notificação de um animal suspeito de mormo no exame de triagem. A partir do fato, notificou o produtor de imediato e isolou o animal até a realização do exame complementar que resultou na confirmação da enfermidade.

No Estado, o primeiro caso de Mormo surgiu em 2015. O último registro de animal positivo foi em 22 de novembro de 2017.

O Tocantins para ter novamente o status sanitário de livre do Mormo precisa estar três anos sem notificação de focos da doença, além de passar pelos processos normativos do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Mormo
O Mormo é uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que acomete principalmente os equídeos (asininos, equinos e muares). Nos equídeos, os principais sintomas são nódulos nas narinas, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento. Existe ainda a forma latente na qual os animais não apresentam sintomas, mas possuem a enfermidade.