Publicidade

OPERAÇÃO SICÁRIOS

Preso pela PC o bandido Pipoca, cruel, fascínora e sedento de sangue

De acordo com o delegado Adriano Carrasco, responsável pela operação, as investigações iniciaram em fevereiro passado com a morte de um casal e de outros dois jovens. Nos meses que se seguiram, outros

22/11/19 10:20:10 | Atualizado em: 22/11/19 10:29:07

“Essa organização meio que presta serviços terceirizados para outra organização, sendo esta maior e com ramificações em todo o País”, afirmou o delegado Adriano Carrasco.
A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado – DRACCO e da 5ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado  de Guaraí (DEIC - Guaraí) na região Centro-Norte do Estado, deflagrou na manhã desta sexta-feira, 22, a “Operação Sicários”.

Estão sendo cumpridos 10 mandados de prisão e 10 de busca e apreensão. Até o momento, seis pessoas foram presas.A operação visa coibir ações do crime organizado, tráfico e homicídios ocorridos na cidade desde o início do ano. A operação ganhou este nome em decorrência da palavra Sicário, que denota crueldade, sedento de sangue, facínora, sanguinário. De acordo com o delegado Adriano Carrasco, responsável pela operação, as investigações iniciaram em fevereiro passado com a morte de um casal e de outros dois jovens. Nos meses que se seguiram, outros cinco homicídios foram registrados na cidade. “Conforme as investigações foram avançando, conseguimos prender um homem de iniciais T. G. de O, vulgarmente conhecido como Pipoca, que foi autor e teve participação nos cinco homicídios”, afirmou.Ainda de acordo com o delegado, em um mês, o suspeito teria participado dos cinco homicídios. O delegado afirmou ainda que os homens presos nesta sexta-feira, atuam para uma organização criminosa sediada em Goiânia – GO e que prestava serviços para uma organização de renome nacional. 
Segundo a diretora da DRACCO, delegada Cinthia de Paula Lima,  ações de combate ao Tráfico e ao crime organizado serão constantes no Tocantins. “Estamos intensificando as operações policiais no intuito de combater a atuação das facções criminosas no Estado", afirmou.
Participaram da operação cerca 50 policiais civis, contando com o apoio de delegacias vizinhas, policiais da DRACCO, demais divisões da DEIC, do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) e da unidade aérea do Centro Integrado de Operações Aéreas – CIOPAER.