Tocantins

Comissão formada por servidores públicos quer que governo mantenha escritório representação em BSB

09/01/19 14:08 | Atualizado em: 09/01/19 14:08

Uma comissão, representando os 27 servidores públicos estaduais efetivos que atuam em Brasília, no Escritório de Representação do Tocantins, estão há três dias em Palmas, negociando com o governo do Estado a não extinção da unidade e a manutenção dos serviços na Capital federal. Segundo dados da comissão, de 2015 a 2018, através das ações técnicas e institucionais, o Escritório garantiu ao Tocantins um montante de mais de R$ 2 bilhões, por meio de convênios, acordos, contratos de repasses e operações de crédito.

Na segunda-feira, em uma primeira reunião como secretário estadual da Administração, Edson Cabral, a comissão - formada pelos servidores Fernando de Moraes Teixeira, Josefa Dias Gomes, Mayra Fabiana Nolêto Jubé Cunha e Polyana Moura Assunção e que contou com a participação do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO), foram orientados a construir uma proposta de redução de custos da unidade de apoio ao Tocantins em Brasília e manutenção dos serviços em três grandes áreas: captação de recursos, apoio logístico ao governo e suporte à Procuradoria Geral do Estado.

Hoje, novamente a equipe se reuniu com o Cabral, entre as medidas apresentadas uma redução de 20% no valor do aluguel, redução do número de veículos, do custo com serviço de telefonia e uso apenas dos 27 servidores efetivos para realizar os serviços.

Além da captação de recursos, a equipe em Brasília dá suporte logístico para agenda de reuniões do governador e secretários com os ministros e presidente da República, deputados federais e senadores; atuam junto com as embaixadas e organizações internacionais; apoio a missões oficiais; faz acompanhamento e atua na resolução de restrições administrativas, técnicas e jurídicas referentes a situação fiscal do Estado no Cauc; e dá suporte à Procuradoria Geral do Estado, para listar parte dos serviços.