POLÍTICA

DRAP do PSOL é indeferido e Mário Lúcio Avelar poderá ser impedido de se candidatar

Registro de Carlesse começa a ser analisado

16/05/18 11:08 | Atualizado em: 16/05/18 14:37


Em julgamento realizado na manhã desta quarta-feira, 16, Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) foi indeferido o DRAP (Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários) do PSOL, que tem como candidato o procurador federal Mário Lúcio Avelar.

Segundo a relatora, desembargadora Angela Prudente, o partido possui pendências na prestação de contas que não foi aprovada pelo pleno, com isso o partido não poderá ter candidato nas eleições suplementares de 2018.

A decisão poderá inviabilizar o registro do candidato Mário Lúcio Avelar. O pedido individual de registro foi tirado de pauta pela relatora que só deve retomar os debates na próxima sexta-feira, 18. “O doutor Mário Lúcio pode conseguir em esferas recursais um dispositivo que permita-lhe concorrer, imagino que até sexta já estaremos com a definição”, disse.

Seguindo a pauta, o pleno começará a julgar o registro do governador interino Mauro Carlesse (PHS). A coligação “A vez dos tocantinenses”, encabeçada por Vicentinho Alves (PR) protocolou o pedido de impugnação alegando que o pedido de registro foi protocolado fora do prazo previsto em lei. Nas provas do processo consta vídeos do sistema de segurança do TRE que mostram o exato momento em que assessores de Carlesse repassam a documentação por cima do muro, após o fechamento dos portões do prédio.

Também existe a expectativa de que o registro individual de Kátia Abreu seja julgado nesta quarta. O TRE tem até a próxima sexta-feira, 18, para analisar todos os processos.